Férias na Austrália: o que eu trouxe de volta na mala. [PARTE 1]

Férias na Austrália
Férias na Austrália

Sabe essa história de realizar sonhos, pois é.. estou aqui para falar de mais um realizado! E quero aqui dividir com você alguns aprendizados que tive nesses dias. Sempre tive dentro de mim a vontade de conhecer novos lugares e aprender com outras culturas. Como o destino da vez foi Austrália, o que posso dizer é que 23 dias foram suficientes para voltar ao Brasil perplexa com tanta beleza, educação, segurança e simpatia (o que nós, brasileiros, também temos de sobra). 🙂

Foram dias em que realmente senti o cuidado de Deus comigo me presenteando com cada paisagem, cada ‘visu’, que era impossível não olhar para o céu e dizer um ‘valeu aí, Paizão!’. Por isso, quero compartilhar com você aquilo que mais me chamou atenção nessa trip e que vou carregar pra sempre comigo dessa. Espero que você sinta daí toda a magia e energia que essa grande ilha da Oceania emana! Vamos nessa?

Rumo ao outro lado do mundo (literalmente)

partiu australia
#partiuAustralia

Posso dizer que a primeira coisa que alguém tem que ter para sair de Fortaleza rumo à Austrália é muuuita disposição, principalmente quando o assunto é distância! Para fazer essa viagem são nada mais nada menos que 5 voos, 2 dias de viagem e muita espera em aeroportos. Isso só de ida! Se você tem medo de avião essa é sua chance de eliminar esse trauma ou traumatizar de uma vez. srsrs

O trajeto foi o seguinte: partimos de Fortaleza para São Paulo; depois de São Paulo para Santiago; de Santiago para Auckland, na Nova Zelândia; de Auckland para Sydney; de Sydney para Gold Coast e, por último, 1h15 de carro de Gold Coast para Byron Bay. 48 horas depois chegamos ao nosso primeiro destino. Ufaa! Agora junta todos esses trechos com a ansiedade e cansaço.

Passamos  uma semana em Byron, depois partimos para Sunshine Coast, há 3h20 de carro, onde também ficamos uma semana e retornamos para Byron Bay. Depois de uma semana pegamos um voo para Sydney, onde ficamos 5 dias. Para ficar mais fácil de você sentir um pouco de tudo que aconteceu nessa trip, dividi este post em por cidades e em duas partes. Afinal, foram 23 dias muito bem vividos!

  1. Byron Bay: nosso primeiro destino

Vencido todo o cansaço da viagem, começamos a aproveitar toda a beleza de Byron Bay, uma cidade encantadora, com muito verde, muita natureza, muita cor e muita energia positiva. Essa é uma pequena localidade cercada de belas praias, ondas, natureza exuberante e uma cultura voltada para a valorização do ser humano. Basta uma volta na cidade, para perceber que mesmo repleta de turista, devido ao verão, ela permanecia pacata e acolhedora.

Se você é apaixonado por tranquilidade, natureza, surf e é bem good vibes posso dizer com toda certeza que Byron Bay é O LUGAR. Para começar, ficamos hospedados numa casa linda e aconchegante, a qual já chamamos de Lar Doce Lar, porque parece que foi feita especialmente pra gente.

home sweet home

Obrigada, Por Favor, Desculpa… Sabe aquelas palavrinhas mágicas que aprendemos na escola? Sim, lá realmente usamos e muito.

Receber um sorriso e um bom dia de alguém que você nunca viu na vida é algo realmente muito comum por lá. “I’m Sorry”, “Thank you” “Please” são expressões universais mesmo para quem não domina muito o inglês e acabam sendo bem comuns para quem precisa viver por lá.

Ainda falando sobre a educação desse povo, não poderia deixar de citar algumas situações que me chamaram atenção. E isso é em todo o país. Sentar em uma mesa levantar a mão e chamar o garçom, com um ‘psssiuuu’, para fazer o pedido é algo comum a se fazer quando se chega em um restaurante, não é? Não, quando se fala de Austrália. Lá, você simplesmente recolhe os cardápios e espera o garçom chegar até sua mesa. Isso, quando o estabelecimento ‘Table Service – Serviço de Mesa’. Quando não, você vai até o balcão e faz o seu pedido. 

Era Sol o Que me Faltava

Antes da viagem eu estava a exatamente 6 meses sem poder pegar sol e nem pisar na água do mar, devido a um tratamento na pele. E isso, para uma pessoa que mora em Fortaleza e é louca por praia é quase uma tortura. Então, daí você imagina o tamanho da minha alegria em chegar em um lugar que SÓ TEM PRAIA.

Em Byron Bay, as praias ficam bem próximas umas das outras, por isso deu para conhecer muitas. Mas algumas, a gente frequentava bem mais. Tallow Beach, Lennox Head, Broken Head e Seven Mile Beach posso dizer que são verdadeiros paraísos escondidos na Austrália.

Mas nem só de praia se vive em Byron… A noite de lá também é bem agitada e nós não perdemos tempo! Existe um barzinho lá chamado The Rails, muito popular entre moradores que se encontram no final do dia para ouvir uma boa música ao vivo todas as noites. Estivemos também em The Great Northern Hotel, para um show de uma das melhores bandas de surf music da Austrália, The Beautiful Girls, que eu até então não conhecia, mas que é muuuito boa! 🙂

Visitar Byron Bay e não conhecer o farol é o mesmo que ir ao Rio de Janeiro e não conhecer o Cristo Redentor. Mas não é para menos… À direita da praia uma grande curva leva ao Cabo Byron, o ponto mais ao leste da Austrália. A vista do Farol (ainda em funcionamento) em cima do morro do Cabo é linda (360 graus de visão). De lá é possível avistar algumas cidades próximas e dependendo da época, baleias em migração e golfinhos.

Cape Byron Lighthouse
Cape Byron Lighthouse

Lá, o meio ambiente e a natureza também agradecem

Impossível visitar um país como a Austrália e não ficar encantado com tanta beleza, tanto verde e tanta preocupação da população para que tudo permaneça assim. Acho que esse cuidado e atenção com o meio ambiente foi uma das coisas que mais chamou minha atenção. Lá, a coleta seletiva de lixo realmente funciona, a preocupação com o ecossistema não é só preocupação. Os australianos realmente cuidam do mundo em que vivem. Não vou negar que eu me perguntava muito “por que isso não funciona no Brasil?” Pois são atitudes tão pequenas que fazem a diferença para o planeta.

Os mercados de Byron Bay dificilmente dão sacola plástica, carregamos as compras dentro de caixas que são reutilizadas. A louça é lavada com água quente para eliminar mais facilmente a sujeira e, assim, economizar mais água no processo da lavagem. Tem sabão ecologicamente correto, que produz menos espuma, gastando menos água para lavar roupa. Enfim, existe todo um ciclo sustentável, que a gente acha estranha no começo, mas logo se acostuma e vê fundamento. E sabe qual o resultado disso tudo? Praias paradisíacas, com águas cristalinas, que permanecem limpas.

Byron Bay é o tipo de lugar que quanto mais você conhece mais se apaixona. Já no final da nossa estadia na cidade, conhecemos uma região de floresta, fazendas e cachoeiras, um mundo todo verde, com paisagens deslumbrantes, no meio de um paraíso.

2. Sunshine Coast: segundo destino.

O nosso segundo destino, então, era Sunshine Coast, localizada há  270 km de Byron Bay, no litoral sudeste de Queensland, ao norte da cidade de Brisbane. Mas não poderíamos chegar lá, sem fazer uma parada em dois lugares de tirar o fôlego: Gold Coast e Brisbane, cada um com sua beleza.

Confesso que demorei um pouco para me recuperar daquele paraíso chamado Gold Coast. Foi lá onde vi pela primeira vez algo muito comum na Austrália: espaços público para fazer churrasco. Isso mesmo! Você reúne a galera, leva sua carne, se diverte e quando sai deixa tudo do jeitinho que encontrou: limpo!

Demos uma pausa rápida em South Bank, Brisbane para o almoço. Lá, conhecemos a praia artificial, que fica bem ao lado do rio de Brisbane, terceira maior cidade do país.

Espaços para barbecue, em Gold Coast
Espaços para barbecue, em Gold Coast

No próximo post, vou dividir com você nossa experiência em Sunshine Coast e, finalmente, como foi realizar um sonho de conhecer Sydney.

Clique aqui e confira a PARTE 2

 

 

 

Comentários

comentários

Um comentário sobre “Férias na Austrália: o que eu trouxe de volta na mala. [PARTE 1]

  1. Pingback: -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *